O dia que o Tracker comeu a CPU do meu Ubuntu

Chapolin x Majin Buu

ORIGENS

Ontem troquei meu Ubuntu 18.04 pelo Ubuntu 20.04 , tudo parecia bem, salvo o fato que a CPU fan estava voando, instalei o lm-sensors e fiquei monitorando com o watch sensors, e lá estava o fan com quase 5.000 rpm. Este comportamento não é novidade , quando há muito processamento a CPU fan dispara e no meu Dell Inspiron isso significa um barulho bem caracteristíco. Com o auxílio do htop descobri o vilão e não era o Majin Buu e sim o Tracker (tracker-store e tracker-miner-fs).

O VILÃO

O Trakcer é uma ferramenta de indexação e pesquisa para Linux. O Gnome faz uso desta funcionalidade e vem instalado como default no Ubuntu 20.04 .

Quando descobri isso me lembrei das primeiras versões do windows 10 que a ferramenta de pesquisa consumia toda cpu. No Windows, segundo me lembro, bastava parar o serviço, mas no Ubuntu “Quem poderá nos defender” .

O HERÓI

Munido do meu Grimoire também conhecido como Google encontrei Logix com seu How To Completely Disable Tracker, GNOME’s File Indexing And Search Tool que explicava tudo que era necessário fazer.

O primeiro alerta foi não adianta remover o Tracker , se você fizer isso vai junto também algumas coisas que talvez você sinta muita falta como as extensões do Desktop Icons e mais de 100 outros pacotes.

A SOLUÇÃO

A solução é desabilitar o serviço para o usuário executando:

systemctl --user mask tracker-store.service tracker-miner-fs.service tracker-miner-rss.service tracker-extract.service tracker-miner-apps.service tracker-writeback.service

e para limpar o cache:

tracker reset --hard

agora só falta efetuar o reboot e como diria V : Voila Vilão Vencido.

CENAS PÓS-CRÉDITOS

A algumas outras soluções:


Desabilitar o X-GNOME-Autostart-enabled em:

/etc/xdg/autostart/tracker-miner-flickr.desktop
/etc/xdg/autostart/tracker-miner-fs.desktop
/etc/xdg/autostart/tracker-store.desktop

fonte


No wiki ubuntu é interessante ler os comentários.